“Você não me ama!”

       
     Alguém que você ama já lhe disse que você não o(a) amava ?
     Como você reagiu ? Você duvidou que realmente o(a) amava ? Quais foram os critérios que você utilizou para saber se o(a) amava verdadeiramente ? Depois dessa análise, chegou a que conclusão ?
     Realmente, quem ama está sujeito a ser posto à prova pela pessoa amada, porque a natureza humana, ferida pelo pecado, confunde amor com outras realidades. Contudo, inclusive nesses momentos de prova, o importante é continuar amando, ou seja, como diz São Paulo, sendo paciente, prestativo(a), não procurando seu próprio interesse, não se irritando, não guardando rancor, tudo desculpando, tudo esperando, tudo suportando (cf. I Cor 13, 4-7).
     Procedendo desta maneira, o amor será cada vez mais purificado, firmado na rocha. Não que se faça isto para provar à outra pessoa que ela é amada, mas simplesmente para amá-la. Quem ama verdadeiramente tem plena consciência do que vive. Na provação, permanece fiel a Deus, esperando no Senhor.
     Muito oportuno também é o conselho de São Paulo para quem vive tal provação: “Irmãos bem-amados, sede firmes, inabaláveis, fazei incessantes progressos na obra do Senhor, cientes de que a vossa fadiga não é vã no Senhor” (I Cor 15, 58).
     Atualizando esta palavra para a realidade em questão, podemos meditá-la da seguinte forma:
  1. A firmeza é o centrar-se, apoiar-se na rocha, que é Cristo Jesus. Lembremos as palavras do Senhor: “Todo aquele que ouve essas minhas palavras e as põe em prática será comparado ao homem sensato que construiu sua casa sobre a rocha. Caiu a chuva, vieram as enxurradas, sopraram os ventos e deram contra aquela casa, mas ela não caiu, porque estava alicerçada na rocha” (Mt 7, 24-25).

  2. Ser inabalável é não pautar a própria conduta ou as palavras pelas ações ou reações da pessoa amada, mas deixar-se conduzir pelo Espírito de Deus: “Não vos preocupeis com o que havereis de dizer; mas, o que vos for indicado naquela hora, isso falareis; pois não sereis vós que falareis, mas o Espírito Santo” (Mc 13, 11).

  3. Progredir incessantemente na obra do Senhor significa viver o maior de todos os mandamentos: “Amarás o Senhor teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma, com toda a tua força e de todo o teu entendimento; e a teu próximo como a ti mesmo” (Lc 10, 27).

     E qual o consolo de Deus para quem vive a realidade de ver seu amor questionado pela pessoa amada ? Quem nos responde é a Doutora da Igreja Santa Teresa D´Ávila, baluarte da Vocação Shalom:

     Nada te perturbe, nada te espante
     Quem a Deus tem, nada lhe falta!
     Nada te perturbe, nada te espante,
     Só Deus basta!
     Tudo passa, só Deus não muda,
     A paciência tudo alcança.


     Shalom!
     Álvaro Amorim.
     Consagrado na Comunidade Católica Shalom.

Share/Bookmark

Creative Commons License

4 Comentários:

Leticia comentou:

Lindo texto meu Irmão!

Impossivel não vir a memoria muitas coisas que passamos lendo esse texto, passou um filminho na cabeça sabe.
Muito sincera e esclarecedoras suas palavras Álvaro. Obrigada por trazer pras nossas vidas,pra nossa realidade a palavra de Deus.

Que Deus te abençõe!
Shalom!!!

Álvaro Amorim comentou:

Querida Letícia,
Amar realmente não é fácil, mas é uma grande graça de Deus. Só na graça podemos viver o mandamento do amor.
Deus a abençoe sempre!
Shalom!
Álvaro Amorim.

Anônimo comentou:

José Ivan Bezerra
Álvaro, sempre ando com um rádio de pilha pequeno para acompanhar a programação da Rádio Shalom onde quer que eu esteja. Ontem, estive na fila de um banco ouvindo a pregação e um senhor na minha frente, me olhou por cima dos ombros, mas depois pareceu tentar escutar, pois não uso os fones. Isso permite que eles escutem tudo.Em seguida, fui pegar um rádio grande das antigas, que eu havia mandado consertar. Ao chegar à casa da minha mãe e tentar ouvir o rádio, para conferir o conserto, foi bem na hora daquela canção "Vem, formosa e bela, vem.. pro meu jardim". Aí, ficamos, eu, a secretária da minha mãe e minha genitora, embevecidos com aquela magnífica canção, que encheu a casa de oração e enlevo. É desses momentos, que eu encontro forças para amar sempre, apesar dos dissabores. Um abraço. A pregação foi belíssima!

Álvaro Amorim comentou:

Querido José Ivan,
Fico feliz por ver que você está evangelizando, dando de graça o que recebeu de graça: o Amor de Deus!
Realmente essa canção fala do nosso chamado: sermos almas esposas de Jesus Cristo, nosso Senhor e Deus!
Um grande abraço!
Shalom!
Álvaro Amorim.

Postar um comentário